Mudança e inovação tem a ver com o novo

Tenho acompanhado alguns processos de recrutamento de grandes consultorias. Os programas de estágio e trainee que todo ano são oferecidos ao mercado.

Pode ser que muitos consultores experientes acreditem que alguém só poderia agregar algo se carregasse uma experiência ou vivência nos processos que ele atua.

Alguns clientes também podem ter este modelo mental – Como eu poderia ser ajudado por alguém que não conhece meu processo?

Para isso tenho algumas considerações, que espero sejam uteis aos jovens que desejam trilhar este caminho.

1- Na maioria das vezes mudanças não são abruptas. São evolutivas, então tem uma história… Como dizia o poeta, nada muda ou acaba com um estrondo…Então não busque uma “sacada” genial. Entenda com profundidade como as coisas funcionam (seu objeto de interesse) e o caminho que levaram para chegar até aqui. Para isso não é necessário vivência. Ainda bem.

2- Inovação tem muita a ver com a combinação inteligente dos recursos para solucionar problemas concretos. O novo? Bom, se já está, não é novo. Só não foi aplicado. Você é um professor Pardal? Então não é consultor.

3- A forma de fazer é o caminho. Fazer diferente. E aqui o pensamento novo tem impacto. No final mudanças sempre foram direcionadas à forma de fazer. Os objetivos e os processos podem ser os mesmos sempre ( pense em qualquer um), mas a forma de executar, isto sim é a inovação.

O jovem aspirante a consultor tem muita coisa a oferecer. Basicamente a palavra é tecnologia. Aplicar a tecnologia mais recente. Esta é a inovação que muda o nível de um processo. Fui planejador de manutenção no passado – Final dos anos 70. Quando avalio este processo hoje, fico maravilhado com a evolução que tornou possível tudo aquilo que queríamos fazer na época.

TPM por exemplo surgiu nos anos anos 70. Sua filosofia perdura forte e atual. Mas venhamos e convenhamos…Praticar as rotinas do modelos da mesma forma dos anos 70? É meigo assistir um grupo de técnicos desenhando engrenagens com canetinhas…mas tem dó totó…é muito caro, e com certeza desmotiva e muito os profissionais… Pergunte a eles!

Mais produtivo e motivador seria um grupo de técnicos construindo procedimentos e padrões utilizando Realidade Aumentada por exemplo…

Nenhum consultor conhece mais do negócio do cliente do que o cliente. Mas ele tem mais tempo, pode se concentrar em temas específicos, e  mais importante. Conhece tudo o que o mercado pode oferecer para alavancar os objetivos do cliente. Tecnologia.

Então jovens amigos…conheça as tecnologias aplicáveis. Isso fará diferença nos processos de seus clientes, e juntos vocês atingirão os objetivos.

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *